Páginas

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

XIV - PERCEPÇÃO PESSOAL DA PRÁTICA DO PECADO

XIV, PERCEPÇÃO PESSOAL DA PRÁTICA DO PECADO.
Todo o ser humano, desde que conheça os preceitos que devem moldar a sua vida, sabe quando está transgredindo tais preceitos.
Por isso, uma pessoa que furta, se esconde atrás da noite, atrás de uma máscara, atrás de uma arma para que não haja reação, etc.
Todos os demais delitos sociais, têm mais ou menos, as mesmas características.
O homem salvo por JESUS CRISTO, tem esta percepção muito mais aguçada, em virtude da sua condição de filho de DEUS e de ter o ESPÍRITO SANTO para mostrar-lhe quando está errado ou não.
Desta forma, com toda a certeza, o crente sabe que está pecando, desde que não sinta tranqüilidade e alegria completa com o que está fazendo ou praticando.
Todas as vezes que um crente está pecando sozinho o desejo da sua consciência é que ninguém veja, nem tenha conhecimento do pecado que está cometendo.
Sempre que um crente está pecando acompanhado, o desejo da sua consciência é que ninguém mais tenha conhecimento do pecado que está cometendo, além do seu companheiro ou companheiros.
Além da consciência interior, que acusa ou mostra ao crente quando este está pecando, este, talvez na imensa maioria das vezes, se recusa a obedecer à ação do ESPÍRITO SANTO, At¨7:51; Ef¨4:30, o qual trabalha em sua mente para que abandone rapidamente o pecado que está cometendo.
Graças a DEUS, muitas vezes o crente obedece à ação do ESPÍRITO SANTO, e abandona o pecado, ainda que esteja no exercício da sua prática.
Por tudo isto, não é difícil, para um crente em JESUS CRISTO, detectar, por si mesmo, se o momento que está vivendo, está sendo um momento pecaminoso, ou não.
Se o que um crente estiver fazendo, puder ser visto por todos, principalmente pelo povo de DEUS sem ser, justamente, censurado ou condenado, com certeza está agindo de acordo com a vontade de DEUS, caso contrário, infelizmente, estará pecando e isso não é bom para si nem agradável a DEUS.
Apenas um lembrete, a nosso ver, necessário.
Toda a vez que o crente se deixa levar pela tentação e peca, não poderá, jamais, culpar a DEUS, pela tentação, nem pelo pecado cometido, já que: “Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é DEUS, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar”, 1ªCor¨10:13.
CONCLUSÃO.
Com este estudo, ficamos sabendo em quem teve início o pecado, como chegou ao ser humano, bem como, quais suas conseqüências sobre o homem e sobre o mundo em geral.
Graças a DEUS, porque JESUS CRISTO carregou sobre si, todo o castigo de todos os pecados cometidos por todos aqueles que o aceitam como seu ÚNICO E SUFICIENTE SALVADOR, e que, portanto, receberam de suas bondosas mãos, a maravilhosa e gloriosa SALVAÇÃO ETERNA.
BIBLIOGRAFIA.
01, BÍBLIA SAGRADA.
Tradução, Almeida, João Ferreira de.
Edição corrigida e revisada fiel ao texto original.
Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil, 1.994, 1.995, São Paulo, SP, Brasil.
02, CONCISO DICIONÁRIO DE TEOLOGIA CRISTÃ.
Erickson, Millard J.
JUERP, 1.991, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
03, DICIONÁRIO DA BÍBLIA.
Davis, John D.
JUERP, 7a Edição, 1.980, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
04, DOUTRINAS, 1.
Novas Edições Líderes Evangélicos.
1a edição, 1.979, São Paulo, Brasil.
05, ESBOÇO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA.
Langston, A. B.
JUERP 8a Edição, 1.986, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
06, MINIDICIONÁRIO AURÉLIO.
Ferreira, Aurélio Buarque de Holanda.
Editora Nova fronteira.

1a edição, 6a impressão, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11   12   13   14

Um comentário:

  1. gostei muito foi muito edificante para meu elevo espiritual

    ResponderExcluir